29.5.09

Nostalgia




"...pode a beleza dispensar-nos da acção? na nudez imóvel come chocolates, sem vergonha após as quedas, domésticas e sucessivas, o ventre riscado pela sombra das venezianas, que o umbigo devora. trinta e cinco graus centígrados e o som da ventoinha azul de metal anula os sentimentos morais de busca de utilidades. podemos estar parados porque somos belos, julgados apenas por teorias estéticas, e o nosso fim imediato esgota-se no lento chocolate, no papel de prata e nas mãos que o desenrolam.."